#Educação Financeira
7 dicas para organizar suas finanças durante a crise
1 de junho de 2020
7 dicas para organizar suas finanças em meio a crise

Como anda a sua saúde financeira de um modo geral? Você já deve saber que se planejar é fundamental para ter estabilidade no orçamento doméstico. Mas quais precauções podemos tomar com as finanças em tempos de crise? A pandemia provocada pelo novo coronavírus (COVID-19) vem gerando instabilidade em diversos setores e, por isso, decisões estratégicas são indispensáveis para você não se perder em dívidas e juros. Fique atento aos sinais e avalie agora mesmo possíveis custos, investimentos em longo prazo e oportunidades para melhorar sua gestão financeira. 


A seguir, vamos recomendar 7 dicas para você organizar as suas finanças pessoais neste período. 

1 – Gastar mais do que recebe? Nunca mais!

Avalie suas despesas fixas (por exemplo, aluguel e prestações), semivariáveis (energia, água, alimentação, telefone, etc.) e variáveis (tarifas, viagens, presentes, lazer, etc.), listando todos os seus débitos, boletos, parcelas e faturas, incluindo tanto os gastos essenciais quanto os supérfluos. 

Negocie suas dívidas e avalie o que deve ser pago com mais urgência diante da sua realidade. O ideal é que elas correspondam a no máximo 30% da sua receita líquida. A meta é gastar menos do que ganha sempre, adaptando os gastos ao seu orçamento.

2 – Monte seu orçamento pessoal 

É a hora de adequar as suas despesas com as suas receitas mensais. Compreenda seus hábitos de consumo e se prepare para imprevistos, atualizando seu orçamento diariamente e anotando cada gasto. Assim, você vai ter acesso a todas as informações do que anda consumindo. Escolha um método de orçamento que você se sinta confortável para trabalhar nele com frequência.

O orçamento é o seu novo melhor amigo. Existem muitos aplicativos comprometidos com essa missão de controle financeiro e você pode encontrar alguns deles aqui. Mas se você gosta mesmo das planilhas, existem diversos modelos prontos para baixar e editar da forma que preferir e de acordo com o seu planejamento. Preencha com as informações de todos os tipos de receita que você possui e depois com as despesas. 

3 – Faça um diagnóstico financeiro

É a hora do confronto. Se você anotou tudo, vai saber e entender o valor que você estimou para se manter ao longo do mês, em comparação com a sua renda e com as suas despesas mensais ou no período que você escolheu avaliar. Agora é a hora de saber sua real situação financeira e planejar o que você pode fazer para melhorá-la. Pensar no débito automático como uma das primeiras soluções para pagar suas contas na data de vencimento e assim que receber seu pagamento, por exemplo, é uma boa opção para evitar atrasos e ajuda a observar melhor o que sobra para as demais despesas.

4 – Cortando gastos 

Existem gastos que valem a pena e outros que você não entende porque fez, já que agora não fazem a menor diferença em sua vida. Que tal cortá-los de uma vez? Converse com sua família ou com quem mora com você, ou seja, pessoas que se relacionam e contribuem de certa forma com as suas despesas, pois todos devem se unir nesse esforço. Se você usa cartão de crédito, é fundamental o controle assíduo das faturas. Listar o que vai comprar antes de ir ao supermercado, por exemplo, pode ajudar muito na hora de decidir o que é importante e o que pode ser cortado.

5 – Definindo metas

Qual o seu objetivo? Para qualquer plano financeiro que você tenha, o ideal é conseguir poupar e investir pelo menos 10% do que recebe. Comece a pensar em sua reserva de emergência antes de qualquer coisa e encare como um desafio para sua futura independência financeira. Estabeleça metas sobre o que gostaria de fazer com a quantia reservada. Uma casa, um carro, uma viagem, pagar a faculdade? Abrir o próprio negócio? Invista suas energias em realizar o seu sonho.

6 – Reserve uma quantia para lazer

Cuidar da mente e relaxar não deve ser deixado de lado neste momento. Sua saúde mental é valiosa para que a sua organização financeira funcione da melhor forma. Ou então, no primeiro estresse ou crise que você enfrentar, pode acabar descontando em gastos extras por impulso, saciando uma vontade momentânea e desnecessária. É importante planejar o seu lazer para que ele seja aproveitado e encarado como uma recompensa por todo o seu esforço.

7 – Pense em investir no futuro

Quando você conseguir organizar suas finanças, não pense que parou por aí. É a hora de pensar ainda mais no futuro. Já tem uma poupança, reserva de emergência e o orçamento em ordem? Que tal reservar uma quantia para começar a investir em renda fixa ou variável? As opções são diversas, de acordo com o valor que você tem condições para começar, inclusive de forma segura. A Sicredi Recife oferece opções estudando o seu caso e perfil de investidor. Clique AQUI para saber mais!

O mais importante nesse processo é você ter consciência de que é necessário mudar seus hábitos para fazer todo o seu planejamento valer a pena. A gente sabe que é difícil, mas quanto mais você tentar começar, mais simples será continuar esse desafio. O seu futuro agradece!

Se você gostou do conteúdo e gostaria de ler outros, assine nossa newsletter!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

Este texto possui 0 comentário(s)